Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quinta Dimensão

Miguel Street

Maio 06, 2007

Li, uma vez, num livro de V. S. Naipaul, intitulado de “Miguel Street”, uma frase que nunca mais esqueci. O livro é bom sem dúvida e vale muito mais do que por uma frase mas, foi esta “oração”, que mais me marcou. Dizia algures (não textualmente): Riste-te o dia todo, à noite vais chorar.
(imagem retirada da internet)
Conheci, recentemente, alguém especial. Tem um sentido de humor característico de uma pessoa inteligente e uma profundidade emocional que faz com que sinta vontade de a conhecer melhor. Passou por muito e chegou até aqui inteira, precisamente por ter tantas qualidades. É uma pessoa forte, sensível e consciente de si mesma. Oscila por momentos de revolta, de ironia e até de alguma normalidade, mas volta sempre, mais cedo ou mais tarde, aos momentos de melancolia que tanto a fazem sofrer. A noite acaba sempre por chegar…
 
Porque é, para mim, alguém tão especial, gostava de saber como a ajudar. Dizem, algumas correntes de pensamento, que para combater os sentimentos depressivos, devemos utilizar os opostos. Assim, para vencermos a tristeza devemos utilizar a alegria e para vencermos as lágrimas devemos utilizar um sorriso. Suponho que, tanto ela como eu, já nos apercebemos disso. Mas há tristezas, e agora falo por mim, que não desaparecem quando as regamos com alegria e há lágrimas que não secam quando as cobrimos com um sorriso. Apelando ao realismo, acho que há tristezas e lágrimas que apenas podem ser escondidas e não vencidas.
 
Eu não sou uma pessoa alegre, portanto este blog e eu não estamos a ser totalmente verdadeiros. Acho, sinceramente e modéstia à parte, que este blog e eu temos sido uma porcaria. Temo que todo o sentido de humor, que dediquei a esta pessoa, tenha feito com que eu não pareça uma pessoa genuína e tenha perdido credibilidade. Mas… só queria ajudar… Hoje já deu para ver que me sinto triste: já ri demais e talvez, ao dia 6 de Maio, tenha chegado novamente a noite. Mas voltando às raízes… Claro que, para ser honesto, tenho que responder à pergunta: porque a quero ajudar? E não sei a totalidade da resposta, mas sei como começa…
 
Eu gosto de ti, Gabi…
 
Teu José.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D