Sexta-feira, 10 de Abril de 2009
MAR

- Ouvi, uma vez, um poeta dizer que a beleza das coisas está nos olhos de quem as vê:

 

IMPRESSÃO DIGITAL 

Os meus olhos são uns olhos, 
e é com esses olhos uns 
que eu vejo no mundo escolhos, 
onde outros, com outros olhos, 
não vêem escolhos nenhuns. 

Quem diz escolhos, diz flores! 
De tudo o mesmo se diz! 
Onde uns vêem luto e dores, 
uns outros descobrem cores 
do mais formoso matiz. 

Pelas ruas e estradas 
onde passa tanta gente, 
uns vêem pedras pisadas, 
mas outros gnomos e fadas 
num halo resplandecente!! 

Inútil seguir vizinhos, 
querer ser depois ou ser antes. 
Cada um é seus caminhos! 
Onde Sancho vê moinhos, 
D.Quixote vê gigantes. 

Vê moinhos? São moinhos! 
Vê gigantes? São gigantes!

 

António Gedeão

 

- Há momentos, porém, nas nossas vidas, em que as vistas se cansam. São momentos em que, por muito esforço que façamos, apenas vemos escuridão.

  ... só nós sabemos como é:

 

LÁGRIMAS OCULTAS
 
Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...
 
E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!
 
E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...
 
E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!
 
                             Florbela Espanca

 

 

- Por vezes até queremos falar com alguém mas não conseguimos e, por vezes, pensamos mesmo em desistir.

 

FALAR COM QUEM?

 

Ás vezes quero falar,

mas sofro de falta de ar.

Quero contar tudo o que sinto,

mas as palavras sabem a absinto.

 

Ás vezes gostava de ser ajudado,

estender a mão e ser resgatado.

Estou tão cansado de porfiar,

mas de maneira nenhuma consigo confiar.

 

Às vezes gostava de não desistir,

insistir para não deixar de existir.

Estou profundamente apagado

e não vejo as partes do meu eu fragmentado.

 

Muito desinteressante,

este conto incessante.

Muito pouco cativante,

esta vida inconstante.

Sem fio de história,

sem ponta de glória.

Absolutamente nada,

só a face molhada.

 

Ás vezes quero acordar,

mas não consigo parar de sonhar.

Quero viver tudo o que almejo,

mas ninguém me toca com um beijo.

 

Ás vezes,

apenas ás vezes…

 

De olhos fechados o que vejo?

O tédio e a solidão num bocejo.

De olhos abertos o que vejo?

A indiferença e o frio num cortejo.

É melhor sem olhos!

Não evito os escolhos,

mas sem olhos não vejo

e, se não vejo, não dou ouvidos ao desejo.

 

Ás vezes gostava de não desejar,

de esquecer tudo o que faz o coração latejar .

Ás vezes,

apenas ás vezes…

 

José Ferreira

 

 

  ... mas nem sempre, apenas às vezes. Há momentos únicos e bons que nos fazem amar a vida!

- Pensando nesses momentos, percebemos que o conforto para as mágoas do íntimo se encontra nos pequenos gestos e começamos por levantar a cabeça:

 

AMADOR SEM COISA AMADA
 
Resolvi andar na rua
com os olhos postos no chão.
Quem me quiser que me chame
ou que me toque com a mão.
 
Quando a angústia embaciar
de tédio os olhos vidrados,
olharei para os prédios altos,
para as telhas dos telhados.
 
Amador sem coisa amada,
aprendiz colegial.
Sou amador da existência,
não chego a profissional.
 
                    António Gedeão 
 
 

- A vida é, em última análise, uma experiencia e experimentar é ser amador: é amar a dor para saber amar com mais intensidade o alívio e abraçar, com consciência, a cura. É experimentar a intensidade da escuridão para se aprender a amar as propriedades da luz. É escutar para poder aprender a cantar... A vida engloba tudo, até a morte. Tudo faz parte de viver e só vive, realmente, quem experimenta e sente a experiência. Tudo por que passamos fica gravado na alma. Por isso cada pessoa é diferente. As diferenças sentem-se na textura e nas rugosidades da alma. Se procurarmos bem, cada uma dessas rugas, ou saliências, tem uma história, uma lição, um sentimento, uma lágrima, um sorriso... tem vida!

 

- Há quem diga que é realista e se orgulhe. Há quem negue ser sonhador por sentir vergonha. São estes os nossos dias. Mas se olharmos para a história da humanidade podemos, facilmente, concluir que a história não reza grandes feitos de homens realistas. A realidade só avança quando puxada por um sonho. E houve quem sonhasse com uma lâmpada, uma televisão e depois este computador. Houve alguém que sonhou chegar à lua e materializou o sonho na realidade. Mais uma vez: a vida engloba tudo, até os sonhos:

 

SEGREDOS VITALICIOS

 

Olha na palma da tua mão:

vê o futuro que imaginaste de antemão.

Vê que até as rosas têm os seus espinhos,

ouve os teus sonhos que segredam para que não os deixes sozinhos.

 

 

José Ferreira.

 

 

- Agora vamos lá acordar dessa nostalgia e viver (VIVER – não disse sobreviver). A vida não é feita só de tristeza ou momentos de dor. Não vou dizer que é metade/metade. A verdade é que, também eu, ainda estou sensivelmente a meio da minha experiência. ;-)

 

 

- Com toda a alma (as duas metades):

 

 



Se de noite chorares pelo sol, não verás as estrelas

Tagore , Rabindranath.

 


música: Pode Ser...

publicado por ejail às 01:14
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De c-alma a 12 de Abril de 2009 às 21:09
Obrigada. É bom saber que não estou sozinha....eu sei que esta nostalgia irá cessar.


De c-alma a 17 de Abril de 2009 às 15:05
Nietzsche disse: Aquilo que não me mata, só me torna mais forte" e eu concordo...


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30


posts recentes

democrAZIA

Cocó

Falta ( não é futebol ).

Poema Invisível

Sombra Lunar

A Procura de Um Sentido

Bom Ano!

O Martemático

divãgações cronodesmedida...

Escutas

arquivos

Agosto 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Maio 2011

Janeiro 2011

Agosto 2010

Novembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

tags

reflexão(36)

desabafo(21)

humor(19)

poesia(18)

nostalgia(11)

pessoas(10)

contos(3)

excertos(3)

gastronomia(2)

solidariedade(1)

todas as tags

Fazer olhinhos
Raríssimas

Este blog apoia a
Associação Nacional das
Deficiências Mentais e Raras
subscrever feeds